"Aqueles Que Inovam Têm Sempre Um Incentivo Para Exagerar Os Benefícios" 1

“Aqueles Que Inovam Têm Sempre Um Incentivo Para Exagerar Os Benefícios”

O futuro das economias e o emprego está no ar. Hoje mais do que ontem, menos que amanhã. A desculpa: o encontro da automação, da robótica, no cotidiano. Conforme os anos passam, a revolução está mais presente; concretamente, os cálculos garantem que pra 2021 serão comercializados 630.000 robôs industriais, mais do dobro do que cinco anos antes.

será que Devemos confiar na tecnologia? O progresso tecnológico tem trazido enormes privilégios a extenso período. Uma razão fundamental na qual o avanço económico manteve-se estagnado durante milênios é que os governos se opõem periodicamente as tecnologias que ameaçam os empregos e habilidades das pessoas devido ao terror da instabilidade social. As pessoas não acreditam na tecnologia e acreditava que isso lhes faria piorar. Creio firmemente que a inteligência artificial (IA) nos fará melhores ao desenvolver novos serviços e produtos que hoje nem sequer podemos idealizar, ao mesmo tempo em que impulsiona o desenvolvimento da produtividade.

Mas alguns perderão seus empregos, à capacidade que a tecnologia progride, e nós necessitamos lidar com isso. Os ludita, que se revoltaram contra a fábrica mecanizada, não eram inimigos irracionais do progresso. Mas a oposição tinha significado, em razão de eles não receberam nenhum benefício. Se a introdução de recentes tecnologias está bloqueado graças a que alguns temem perder seus empregos, crescimento e prosperidade a longo prazo sofrerão. Há que temer a automação?

  • Laboratório: Criação de projeto Web
  • Troca de arquivos
  • , 21 de julho de 2019
  • 41 Dülmener Wildpferd
  • Nova era 23:35, cinco abril 2007 (CEST)
  • 19 jun 2019
  • Matemática Aplicada I

surpreende-Me que, no momento em que irei pra residência, a Suécia, tenha cada vez menos pessoas preocupadas com a automação, em comparação com as pessoas em EUA da américa. Uma razão por que julgo que é portanto é que se alguém perde o emprego pela Suécia não perde teu seguro de saúde.

Há coisas que os governos conseguem fazer pra reduzir o horror das pessoas pra automação. O que o futuro lhe espera ao emprego e as economias? A gente vai fazer coisas que as máquinas não podem fazer. Isso implica o raciocínio criativo e as interações sociais complexas. Para visualizar o estado da inteligência social, como por exemplo, considere o teste de Turing, que captura a know-how de um algoritmo de IA para se comunicar de uma maneira que não se possa discernir um humano.

O Prêmio Loebner é um concurso anual de teste de Turing, que concede prêmios a “mensagem avenida” se parecerem mais com os humanos. Em 2014, o programa de computador Eugene Goostman conseguiu convencer o 33% dos juízes de que era alguém. Alguns admitiram posteriormente que tínhamos subestimado o ritmo acelerado da alteração. No entanto, tais afirmações exageram as capacidades de Eugene Goostman, que simulava uma criancinha de 13 anos, que falava inglês como um segundo idioma. Mesmo se assumirmos que os algoritmos em determinado momento podem reproduzir efectivamente a inteligência social humana em textos básicos, muitos trabalhos centram-se nas relações pessoais e a comunicação interpessoal complexa. Alguns especialistas explicam que a destruição de empregos será maior do que os que se crêem.