Você Tem O Power Point Os Dias Contados? 1

Você Tem O Power Point Os Dias Contados?

Jeff Bezos, fundador da Amazon, foi proibido o PowerPoint nas reuniões de seus escritórios. Corporações como Apple aconselham a seus funcionários não abusar deste programa em tuas juntas. Professores universitários renegam do recorrente de exposição de diapositivos e projeção de fatos e de frases numa tela ao longo das aulas, ao considerá-lo chato e pouco capaz. Defendem recuperar a lousa e o giz. É o que fez um grupo de físicos norte-americanos, surpresos com o consequência: as idéias nesta reunião floresceram como nunca. E, na Suíça, apresentou-se há anos o partido Anti – PowerPoint.

Não pediam teu desaparecimento, no entanto sim abolir o uso sistemático e obrigatório que se faz nesse programa em empresas, conferências e universidades. Então, cabe perguntar: você Tem o PowerPoint os dias contados? Luis Alberto Igrejas, consultor da empresa A Arte de mostrar e Cândido Blasco, fundador de Comunicae, são unânimes na resposta.

Ambos consideram, com apoio na sua experiência, que o PowerPoint lhe resta de existência pro tempo, no mínimo em Portugal. Cândido Blasco confessa, ao citar-se a medidas como as anunciadas na Amazon ou Apple, que só sabe essa política de corporação, se a mesma se limita às reuniões diárias do cotidiano. “Nesses encontros pode-se prescindir do PowerPoint, contudo pela minha opinião é um erro refutar essa ferramenta no momento em que se trata de apresentar novos projetos ou exposições de ideias de negócio para as submeter a debate.

  1. José Raimundo do Rio Castelo (1944)
  2. 6 Norte, Central e do norte
  3. Business Script
  4. Avisar de promoções ou descontos especiais
  5. A eliminação de fome, trabalho ou execução de 20% os congoleses pelos belgas
  6. um Arriscadas medidas políticas e económicas
  7. 31 de outubro de 1894
  8. “human capital, fertility and growth” by Oded Galor. Abstract

nesses casos continuam e seguirão tendo muita importancia as exposições gráficas com a ajuda de uma tela”. Para Luis Alberto Igrejas essas empresas que rejeitam de uma maneira tão frontal do PowerPoint deveriam fazer outra reflexão antes de amparar essa capacidade tão drástica. “Mesmo que o fundo do defeito é que a ausência de pessoal preparado para notificar idéias e fazer apresentações, sem que possa ser expressivo o evento de que têm à mão para não usar um suporte pra projecção de imagens, de dados ou de textos”.

Igrejas que sim, que admite, contudo, que o PowerPoint “nos tornou mais vagabundos”. E isso ocorre em razão de em Portugal há pouca cultura e preparação para a árduo arte de se apresentar. “Ninguém ensina essa obediência nas universidades e algumas exposições ou apresentações são marcadas sem escoltar nenhum modo, fiándolo tudo a um programa de micro computador que, além disso, tira-se muito menos funcionamento do que de fato tem essa ferramenta.” É o caso destas pessoas que se limitam, em congressos e reuniões de organização, pra atravessar slides e leia os textos que se projetam, sem levar nada mais uma vez ao que prontamente está na tela.

Os ideólogos do partido político brasileiro desenvolvido com o único intuito de cessar com o PowerPoint (desse povo, qualquer um pode concorrer a umas eleições, por muito improvável que possa ser o seu programa) objetivavam que a sua reivindicação tivesse eco mundial. Os físicos dos Estados unidos PowerPoint por uma convencional quadro-negro -foi durante uma investigação sobre o Amplo Colisor de Hádrons – comprovaram que a alteração da tela pelo giz ajudou a interação. O debate, as dúvidas e as respostas foram expostos durante a apresentação, e não uma vez terminada a exposição do orador. “O emprego de slides era como uma camisa de potência que impedia a discussão”, alegou depois do experimento Andrew Askew, professor de Física pela Escola Estadual da Flórida.

Na Amazon teu fundador foi recuperado os discursos escritos em suas reuniões internas. Jeff Bezos alega que a estratégia funcionou e que as exposições de idéias, se são boas, não devem de nenhum suporte. Então, pra este empresário a projeção de slides e dados em uma tela não é mais do que uma perda de tempo.

Uma tese simular segurou-a no seu dia Bent Meier Sorensen, professor de Filosofia e de Negócios da Copenhagen Business School. Esse docente verificou que os alunos continuavam com mais atenção o que dizia quando recuperou a lousa e o giz.